PROJETOS ÂNCORA

 

Rota do Património Industrial – Os Mármores

 

Promotor – Turismo do Alentejo, ERT

 

Descrição do Projeto:

 

A indústria das rochas ornamentais ainda é um dos principais polos de desenvolvimento da região Alentejo, determinante para a manutenção de um elevado volume de emprego nesta região e o presente projeto assenta na Valorização de um território que a partir do mármore pretende revitalizar a região.

O espaço físico de partida correspondente à estrutura geológica anticlinal de Estremoz, a qual é responsável pelas características únicas que a região apresenta, nomeadamente:

·         Extensos afloramentos de rochas carbonatadas (mármores e dolomitos), responsáveis pelas especificidades do relevo, recursos geológicos e hídricos, solos, fauna e flora, ocupação humana e toponímia, face à largamente dominante envolvente xistenta;

·         Condições extraordinárias de observação geológica que permitem uma interpretação tridimensional de apreensão fácil;

·         Maior mancha de mármores do país e uma das mais importantes áreas de extração e transformação de rochas ornamentais a nível nacional, apresentando uma notável continuidade histórica de exploração mineira com características patrimoniais e ela própria responsável pela exposição de um vasto património geológico de elevado Quantificação científico e didático;

·         As pedreiras abandonadas são por excelência um espaço de isolamento que convida ao isolamento e introspeção, esta vertente do espaço industrial não tem sido explorada e pode ser promovida.

No entanto, conhecendo a importância económica ancestral dos mármores, pretende-se alargar a rota desde Mértola até Mérida retomando os percursos romanos que se identificam no terreno, fazendo deste modo uma ligação natural e óbvia à Arte, à Arquitectura e Urbanismo, à Arqueologia e à História.

Associada à Rota do Mármore e a desenvolver neste projeto estão previstos a inclusão de percursos específicos destinados a outros públicos, como seja uma rota das especiarias e ervas aromáticas; da fauna e flora; do barro; da doçaria e da gastronomia; percursos radicais e passeios pedestres, etc.

Enquanto a Rota do Mármore visa promover a região e o recurso para além do seu espaço físico, estas novas estas ofertas têm como objetivo principal devolver o espaço rural às povoações autóctones. O contacto com a população é muito fácil, o povo acolhedor, hospitaleiro e sempre pronto a ajudar é outro aspeto que muito agradará ao visitante que aqui se sentirá em casa. Desde modo é quase uma obrigação retribuir informação e conhecimento especializado e abrir novas janelas de conhecimento dando-lhes a conhecer outras realidades com as quais coabitam e que, por desconhecerem, simplesmente ignoram.

Por fim, o projeto prossegue os objetivos do Projeto RUMYS – Rota do Mármore (INETI, Universidade de Évora, CEVALOR, Empresas e CMVV) que é um ótimo programa de divulgação à escala internacional (o RUMYS desenvolve-se em 17 países) mas não dispõe de verbas próprias para financiar a implementação da Rota no terreno. A “Rota dos Mármores: Percursos Geoturísticos” terá a sua disposição a logística do Projetos RUMYS para a divulgação das ações e resultados à medida que forem produzidos.

 

Objetivos do Projeto

 

Divulgar e valorizar o património geológico e mineiro como ferramenta para a leitura/compreensão do território, como fator indutor de desenvolvimento e promoção turística.

·         Aproximar as populações à natureza, valorizando os recursos endógenos como elemento estruturante e integrador de uma identidade regional;

·         Promover a recuperação dos espaços afetados pela industria para novas utilizações e dinamizando a economia da Zona dos Mármores;

·         Sensibilizar para a importância do mármore e da indústria de rochas ornamentais associada à história da região;

·         Valorizar a excelência das condições de observação de estruturas geológicas, originadas pela intensa atividade extrativa;

·         Aumentar e diversificar a oferta turística na região dos mármores, quer para o público em geral quer para especialistas

·         Criação de uma rota turística desenvolvida com base no património dos mármores, integrando uma dimensão cultural, paisagística e patrimonial, que contribua para a afirmação nacional e internacional do Alentejo como destino de touring cultural e paisagístico;

·         Conferir um tema federador ao conjunto de concelhos envolvidos que permita uma afirmação territorial dos mesmos;

·         Promover o desenvolvimento socioeconómico dos serviços de apoio ao turismo dos concelhos envolvidos;

·         Contribuir para a promoção de outros produtos / serviços dos territórios envolvidos.