Escultura na Cidade

 

Promotor –Turismo do Alentejo, ERT

 

Descrição do Projeto:

O projeto visa a valorização do recurso mármore através da indução de novos fatores de competitividade ao processo de criação artística e cultural, na ótica de dinamização turística do território de intervenção do PROVERE. Pretende-se animar o espaço das urbes do território de intervenção através da criação de um movimento de reflexão que contribua para a promoção do conceito de “arte como meio de urbanidade”, envolvendo artistas, arquitetos, designers, planeadores do território, estudantes, de modo a definirem-se modelos de ação/intervenção artística na cidade que se possam traduzir em outputs turísticos. Pretende-se, em última instância, criar software turístico adicional, que se some à oferta já existente.

A intervenção da Turismo do Alentejo, ERT justifica-se no sentido de ser necessário articular a ligação entre a produção cultural e artística, numa ótica próxima do conceito de indústrias criativas, e a dinamização turística do território PROVERE. O sucesso desta associação apresenta-se como fundamental para estimular a procura de públicos exteriores (que consomem arte e fruem espaço público), dimensão considerada critica para o projeto.

Como referencial/boas práticas para o projeto, partir-se-á do exemplo de Évora que, em 1981 desencadeou um processo de experimentação e investigação no domínio das rochas ornamentais, que culminou com a execução e a colocação no espaço público de um significativo número de esculturas contemporâneas - as quais passaram a integrar a vida e o imaginário da sua população e também dos visitantes. É por essa razão que o projeto, ainda que maioritariamente se desenvolva em Estremoz., Borba e Vila Viçosa, incluirá a realização de diversas ações na cidade de Évora, como meio de demonstração de boas práticas para os restantes concelhos.

 

Objetivos do Projeto:

·         Implementar estratégias de integração da escultura e da arte no planeamento urbanístico do território PROVERE e nas formas de dinamização turística;

·         Estabelecer relações institucionais com vista a criar uma dinâmica de desenvolvimento concertada entre entidades diversificadas (entidades públicas e privadas de diferentes sectores – turístico, ensino, empresarial, cultura);

·         Instituir e fomentar uma agenda de competitividade e de inovação em redor do recurso mármore, visando a integração deste nas dinâmicas económicas globais do território PROVERE;

·         Desenvolver a interceção e a confluência das diferentes disciplinas artísticas – incluindo as artes e a arquitetura, no sentido de promover a expressão de novas formas de arte com potencial para projetar o território e os seus agentes culturais e económicos;

·         Contribuir para o acesso à fruição das artes no espaço urbano por parte dos diversos públicos;

·         Fomentar a participação de jovens artistas e a criação de novos públicos;

·         Atrair públicos exteriores consumidores de arte e, particularmente, de escultura;

·         Criar software turístico adicional a utilizar, quer pelos operadores turísticos da zona de intervenção, quer por aqueles que trabalham com o território.