Museu do Mármore – Reestruturação e Ampliação – 2ª Fase

 

Promotor –Câmara Municipal de Vila Viçosa

 

Descrição do Projeto:

O reconhecimento da importância das atividades de extração e transformação do mármore, conduziu à necessidade de valorização, conservação e divulgação da importante memória coletiva, que está na base do projeto de criação do Museu do Mármore, com vista a preservar e a potenciar as marcas do ambiente que caracteriza o trabalho da pedra, sendo instalado na antiga estação dos caminhos de ferro.

No entanto, o atual edifício que alberga o Museu do Mármore apresenta problemas relacionados, sobretudo, com a adaptação das instalações para fins museológicos. Na verdade, o Museu, apesar do seu acervo ser considerado de grande valor, não apresenta umas instalações adequadas à tutela e ao discurso expositivo dos bens, o que obstaculiza consideravelmente o desenvolvimento da sua ação museológica. Consciente desta realidade, a Câmara Municipal de Vila Viçosa dedica atualmente particular atenção ao património geológico e industrial local e, sobretudo, à necessidade de desenvolver um programa de intervenção mais global que contemple uma outra solução e uma nova estrutura museológica, que permita desenhar novos modelos de gestão e organização.

Neste momento, estamos verdadeiramente empenhados em reforçar e aprofundar o conhecimento destas memórias, implementar novas experiências museológicas, abrir novas linhas de orientação e programar novos recursos patrimoniais, através da instalação do Museu do Mármore na pedreira desativada do Olival da Gradinha, hoje praticamente inserida no espaço urbano de Vila Viçosa, o que permite retirar partido da memória e da cenografia que este espaço encerra. Com efeito, resulta incontornável articular metodologias e nascentes soluções museológicas num novo modelo de gestão integral, que garanta a proteção e a divulgação do património geológico calipolense, que reflete as identidades e os interesses de muitas gerações calipolenses, contribuindo, deste modo, para se fixar ao território e para atrair outros recursos exteriores.

Assim, projeto Museu do Mármore na sua globalidade contempla duas fases:

- A 1ª fase contempla a recuperação/requalificação do pavilhão existente para área expositiva polivalente que comportará os seguintes espaços: - Zona de Receção; - Instalações Sanitárias; - Área Expositiva. Esta fase já foi candidatada no âmbito do Corredor Azul – Redes Urbanas para a Competitividade e Inovação.

- A 2ª fase prevê a ampliação da área expositiva, assim como a recuperação ou adaptação das construções anexas e todo o tratamento do espaço exterior.

 

Objetivos do Projeto:

O principal objetivo será divulgar o sector da Pedra Natural, com destaque para o Mármore através do acréscimo do número de visitantes que atualmente visitam o Museu do Mármore. Paralelamente pretende-se contribuir de forma decisiva para a melhoria da imagem do sector junto do público em geral. Localmente, o Museu consolidará uma entidade regional de gerações que se têm dedicado à exploração deste georrecurso promovendo estratégias de cumplicidade entre o Museu e as populações mais próximas, fazendo “seu” o Museu do Mármore os visitantes podem enriquecê-lo com os seus testemunhos e visitas regulares.

Criara uma política de cooperação com as escolas através de experiências e módulos interativos que tendo por base o mármore, se relacionam com a matéria lecionada nas disciplinas de Ciências Naturais, será outro dos objetivos a alcançar.